domingo, 12 de outubro de 2014

Zé Côco do Riachão - Discografia


José dos Reis Barbosa dos Santos, mais conhecido com Zé Coco do Riachão é natural de Brasília de Minas, tendo vivido a maior parte de sua vida no povoado de Riachão.

Aprendeu a tocar viola, rebeca, sanfona e cavaquinho "de ouvido", ou seja, sem nenhuma técnica musical, mesmo porque era analfabeto, não sabendo sequer assinar o próprio nome. Suas limitações com a língua pátria, no entanto, em nada dificultaram a criatividade musical. A intimidade com os instrumentos vem desde a infância, quando, por curiosidade, começou a imitar os gestos de seu pai, que também tocava e fabricava violas e rebecas. Só que Zé Coco foi além: não só toca e fabrica instrumentos como ninguém, como também compôs aproximadamente 100 músicas, o que o faz ser considerado um fenômeno do sertão mineiro.


Durante 68 anos, Zé Coco viveu no anonimato para o resto do país, embora tenha sido sempre famoso e respeitado nos lugares onde viveu, como Mirabela, Riachão e São Pedro das Garças.

Ele era a garantia de sucesso nos forrós onde tocava, e também atraía grande público para as folias e celebrações religiosas, sempre tocando um ou outro instrumento. Somente após se mudar para Montes Claros, há cerca de 20 anos atrás, é que sua arte começou a ganhar asas. Ajudado pelo cantador Téo Azevedo e pelo jornalista Carlos Felipe, gravou, em meados de 1980, os dois primeiros discos: "Brasil Puro" e "Zé Coco do Riachão".

Zé Coco do Riachão é, hoje, reconhecido e aclamado não só no Brasil, mas também internacionalmente - foi na Alemanha que ele ganhou o título de "Beethowen do Sertão", como passou a ser identificado desde então. Para quem não sabe, Bethowen foi o maior compositor clássico alemão. A crítica especializada o considera um verdadeiro achado em benefício de nossa cultura popular. Em suas composições se identificam ritmos da cultura sertaneja, já praticamente sem representantes no Brasil, como o lundu, o maxixe, os guaianos e calangos, entre outros.


Discografia >>> Download

[1980] Brasil Puro
[1981] Zé Côco do Riachão
[1987] Vôo das Garças


Um comentário:

  1. Parabéns e vida longa ao maravilhoso espaço de cultura.

    ResponderExcluir