domingo, 12 de abril de 2015

Itamar Assumpção - Discografia


Um gênio! Não há palavra melhor para definir o músico e compositor Itamar Assumpção. Um artista inventivo, ousado e performático. Homem sangue quente, colorido, agridoce, pirado, bendito e grande conhecedor de orquídeas. Ele as entendia, e elas a ele... Sempre foi assim, uma relação linda, mediada ao toque e a delicadeza. "Nós somos orquídeas cigarras formigas amigas / Pra lá de colegas / Musas e músicas curtimos a lida / Curamos feridas amamos a vida".

Filho de Tietê (SP), Itamar não fugia a luta, jogava-se na vida em puro experimentalismo. Ele fazia e acontecia, "matava a cobra e mostrava o pau a quem quiser ver e comprovar". Ah! Esse "Benedito João dos Santos Silva Beleléu. Vulgo Nego Dito, Nego Dito cascavé", senhor de uma poesia complexa.

Tonou-se referência da chamada vanguarda paulistana que agitou a música brasileira entre os anos 70 e 80, constituindo um dos momentos mais transformadores da cena musical no País, ainda sob a vigília da ditadura militar.



No documentário "Daquele Instante em Diante", de Rogério Velloso, fragmentos da vida e da obra de Itamar Assumpção são trazidos à tona.

O filme acompanha diversas fases de sua carreira, desde a intrigante canção "Nego Dito", uma das mais calorosas discussões acerca da negritude e do racismo no Brasil; até sua morte, aos 53 anos. Parceiros e amigos, como Alice Ruiz, Suzana Salles, Luiz Chagas, Paulinho Lepetit, Marta Amoroso e Vange Miliet, além de sua mulher e as duas filhas, reconstituem traços da vida do músico. Reunindo uma seleção de imagens raras garimpadas em meio a acervos e arquivos particulares.

Itamar gravou discos considerados antológicos como "Beleléu", "Às Próprias Custas S/A" e "Sampa Midnight". Ele foi parceiro de Paulo Leminski, Arrigo Barnabé, Jards Macalé, Alzira Espíndola, entre outros. O artista também teve suas composições gravadas por inúmeros músicos como Zélia Duncan, Ney Matogrosso e Rita Lee. O documentário lança o projeto "Iconoclássicos" na rede de cinemas Unibanco em todo o Brasil. O projeto é patrocinado pelo Itaú Cultural, com foco em figuras importantes de vários campos das artes.


Discografia >>> Downolad

[1980] Beleléu Leléu Eu
[1983] Às Próprias Custas S/A
[1986] Sampa Midnight
[1988] Intercontinental!
[1993] Bicho de 7 Cabeças Vol. I
[1993] Bicho de 7 Cabeças Vol.II
[1993] Bicho de 7 Cabeças Vol.III
[1996] Ataulfo Alves por Itamar Assumpção
[1998] Pretobrás
[2004] Isso Vai Dar Repercussão
[2010] Pretobrás II
[2010] Pretobrás III


7 comentários:

  1. Meu amigo, muito obrigado por esse tesouro. A obra de Itamar Assunção precisa sempre ser divulgada.

    O seu blog é incrível, parabéns pelo belo trabalho. Me lembra diversos outros trabalhos que sumiram ou foram suprimidos nesses tempos estranhos em que vivemos. Parece que a informação e o conhecimento nunca foram algo tão perigoso.

    Só mais uma coisa, não sei se é só pra mim, mas o link para "Petrobrás II" parece ter caído..

    Abs

    ResponderExcluir
  2. Salve, malungo. Agradeço seus elogios e sua visita ao blog. O disco solicitado já foi adicionado à pasta. Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo1/5/16 09:28

    Itamar Assumpção, Hermeto Pascoal, Alceu Valença, Sivuca, Heraldo do Monte... nossa, este blog é demais mesmo!!! tomara que dure para sempre ou ate pelo menos eu devorar e guardar tudinho que há aqui, pra mim são super preciosidades! muito obrigado!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns e obrigado pela militancia a favor da cultura íntegra e genuína.
    Markel Trindade

    ResponderExcluir
  5. História de despedida, estou assistindo o documentário hoje dia 05/06/2017, as lágrimas não silenciam, dói uma afetividade de causa, uma liberdade, este dói dói que nos faz em nossas almas que não acordam, suas orquídeas,na orquídea da minha Rainha que foi encontrar seu também orquidário, sua obra nunca silenciou prenunciou das iscas que pretos vivem, que pretos escondem desejos nos autos de segurança, sua música resistência da essência desta terra que bate em nossos terreiros que são sujeitos e sofrem toda a negação deste estado que demonstra o seu trato nas doenças causadas pela negação do estado liberdade, as lágrimas são um presente que a sua música reverbera o que eu acredito ser o mais humano que já vi, próximo andei Penha e nasci em Cangaiba City...quantas poesias, livros, grafitis, desenhos, tons, sons, melodias, dias, anos, tempo, liberdade, vida, orquídeas...

    ResponderExcluir